Nanci Sampaio – delicadeza e feminilidade

Nanci Sampaio é uma das bailarinas mais femininas que já tive oportunidade de ver dançar. Sua feminilidade não exige a sensualidade exacerbada dos tempos atuais, mas remota as damas do século XIX, com sua sutileza e delicadeza. Dona de uma expressão serena e de um quadril lindo, Nanci faz parte do rol das mais conceituadas e queridas bailarinas da Bahia.

Sua história com a dança começou aos 4 anos de idade. Cursou ballet, jazz, dança moderna, danças sagradas e dança flamenca. Seu primeiro contato com a dança do ventre se deu somente em 1995, quando foi convidada por Márcia Mignac a fazer aulas regulares e dançar em um espetáculo. Nanci não apenas aceitou o convite, como acabou completamente apaixonada pela dança oriental.

Em 2001 foi para Barcelona (Espanha) onde dançou profissionalmente e ministrou aulas. Ao retornar ao Brasil, retornou a docência e, concomitantemente, buscou uma formação em terapias: massagem ayurvédica, terapia transpessoal, massoterapia e reiki.

Em janeiro de 2009, inaugurou o Espaço AKASH Danças e Terapias, onde além de oferecer aulas de dança do ventre e folclore árabe (também em inglês e espanhol como forma de praticar o idioma aliando a uma atividade física e terapêutica), oferece serviços voltados à qualidade de vida como atendimentos com massoterapia, reiki, dança cigana, dança tribal, canto, técnica vocal para adultos, violão clássico e popular, mat pilates, yoga, chi gung e um curso de meditação.

“Quando danço e quando aprecio algumas mulheres dançando, percebo o verdadeiro sentido desta arte. A dança é, para mim, vida, calor e luz! Sou muito feliz porque planto e plantei sementes que dão flores perfumosas e frutos saudáveis! Estou cumprindo a minha missão aqui.” – Nanci Sampaio

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para Nanci Sampaio – delicadeza e feminilidade

  1. Juliana disse:

    Nan é minha primeira e, até agora, única professora.
    Há muito tinha vontade de estudar danças árabes mas por obstáculos de flexibilidade de horário e condições financeiras adiei bastante esse sonho.
    Quando decidi que havia chegado a hora de começar fiz uma pesquisa das professoras de dança da bahia e ela foi a primeira que eu vi, e a única.
    O primeiro video que vi nas minhas pesquisas foi esse segundo que você apresentou nesse posto, me encantei e não procurei mais vídeo algum, talvez se tivesse procurado mais tinha escolhido outra professora (Bella por exemplo, que hoje me encanta em todas as suas apresentações, tanto por técnica e presença de palco, mas PRINCIPALMENTE, por criatividade. Êta mulher poço-sem-fundo de criatividade!).
    Mas escolher Nan como minha iniciadora nessa linda arte foi meu destino.
    Tratei logo de procurar contato com ela e marquei aula experimental já na semana seguinte.
    Hoje, depois de um ano de dança com ela, tenho a certeza de que o estilo dela é o que mais me completa.
    Talvez ela não seja a mais taletosa da Bahia, a mais exuberante, mas, com certeza, é aquela que me completa toda semana com seu sorriso, sua calma, sua meditação, sua tranquilidade e seus ensinamentos.
    Agradeço todos os dias por não ter procurado mais vídeo algum, rsrs e ter, por isso, posto Nan para sempre em minha vida.

  2. Rosa disse:

    Nanci começou muito cedo e não por acaso, tem uma missão aqui na Terra. Desde pequena reunia as amiguinhas da escola e preparava coreografias desde a dança da Emília até Jazz no playground do prédio para apresentar em dias especiais. Os ensaios eram marcados por ela, nem que fossem no intervalo das aulas. O lecionar para ela, então, sempre foi um imenso prazer e não uma “estratégia de marketing” como algumas professoras se utilizam.

    Ao contrário de muitas bailarinas que coreografam, Nanci sempre dança no improviso e é isso que mais me fascina. Como abordar os toques, os sons sem perder a criatividade; como “ler” as notas como se fossem palavras sinuando o corpo como se tornasse mais um instrumento? Ela se torna parte da música. Talento? Sim… mas muito mais do que isso: conexão. Conexão com algo interior e com algo superior, talvez incapaz de ser traduzido em palavras. Isso se comprova na sua expressão quando dança, de como muda sua postura quando está fazendo o que ama.

    Ídolos, para mim, não são pessoas famosas que estão na mídia e admiramos APENAS pelo seu trabalho. São muito mais aqueles com quem convivemos e percebemos sua índole, seu caráter, e que, além de seu trabalho, sabemos de sua história real e não a contada por revistas, não a alarmada pela mídia. E por conhecer tanto esta mulher, às vezes menina e às vezes deusa que posso dizer com certeza: sim, ela é minha ídola.

    Para mim, talento é muito mais do que reconhecimento. Este é conseqüência do primeiro, porém talvez o que seja mais reconhecido (em grande escala, nacionalmente, digamos) atualmente é uma sexualização da dança, as imitações de outras bailarinas famosas e até mesmo certa padronização da dança (deve ser feito assim, senão não está bom). Algumas estão lá pelo seu mérito, mas acredito que a grande parte se encaixa nesta descrição. Mas fazer o que? Vejo o quanto Nanci é reconhecida aqui na Bahia, mas é respeitada e admirada muito mais por aqueles que estão em sintonia com a sua simplicidade e luz própria. Para mim, ela sempre esteve muito acima da “mesmice” e da busca pela fama, por “aparecer”. Ela sempre trabalhou para emanar luz e não para ser mais uma.

    Enfim, por isso é Nanci Sampaio.

  3. Larissa Navarro disse:

    Chego a este blog por acaso e (que surpresa!) me deparo com esse ótimo texto e comentários sobre a minha querida professora Nanci.

    Sinto-me muito feliz por tê-la conhecido e preciso dizer que é visível a sua dedicação, o seu cuidado com as alunas e a sua paixão pela dança. Ela nos inspira, não só através da sua linda dança, mas também através do seu jeito doce e delicado. É mesmo muito feminina e, acima de tudo, muito natural.

    Nan, que linda PROFESSORA você é!

    Lory, parabéns pelo blog. Não conhecia, cheguei por acaso e estou adorando seus posts e vídeos. Tudo muito inspirador para alunas de dv, como eu. Vou “futucar” bastante seu blog! rs

  4. Pingback: E pela primeira vez… « (An)danças de Lory

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s