Reconhecendo Estilos – Ana Bastanak

Todo mundo dançou essa música em 2009. Chegou ao ponto de eu não conseguir mais escutá-la. Enjoeei total da bichinha mesmo ela sendo linda e tendo me arrepiado os cabelos da cabeça nas  primeiras 200 vezes que a escutei.

Então, em homenagem a música mais tocada nos palcos de dança do ventre do país, resolvi fazer essa edição do Reconhecendo Estilos.

Pra começar, a egípcia sensação do momento, Dalila.

A segunda mocinha, é a brasileira Aziza Mor-Said:

E, pra terminar, ao invés de ver cinturinha fina e cabelão, uma versão masculina no palco, Marcos Ghazalla.

Minha impressão geral:

Dalila é uma cópia melhorada da Dina. E, sim, da Randa também. É tão cópia que me dá agonia ver ela e não achar o carisma da primeira e o quadril da segunda, então acabo não conseguindo prestar muita atenção na leitura porque me cansa rápido. Poxa, se a mulher tecnicamente é tão boa que consegue fazer a gente confundi-la com a Dina, devia usar esse talento pra ser mais original. Credo! Não falei dela com a música, né? Horror! Mas é isso… não gosto. Tecnicamente maravilhosa, mas não me enche os olhos.

A Aziza faz uma leitura mais molinha, feminina e delicada. Apesar de não dar pra ver direito a entrada, gosto da diferenciação com o véu. Gosto no geral, mas não amo.

Já desse cara, sou meio suspeita pra falar. Essa performance do Marcos foi no Rio e não vi ao vivo, mas vi esse rapaz dançando Ana Bastanak aqui, no Festival Bahia-Brasil de Danças Árabes e fiquei emocionada. Foi sentido, de alma e belíssimo. Porque tem força e amor. De longe, minha preferida.

E vocês, o que acham?

Ah… e um pedido: vamos escolher outras músicas pra dançar em 2010? Não agüento mais Ana Bastanak, por mais linda que ela seja…!

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para Reconhecendo Estilos – Ana Bastanak

  1. Wardah disse:

    Lory, eu vi essa apresentação do Marcos aqui no Rio. Nunca vi uma execução tão linda e emocionante. No momento da dança dele eu estava indo comprar umas coisas e tive q parar pra ver(no topo da escada),como eu estava em destaque,acho q as pessoas até riram da minha cara de quase choro.
    Foi a primeira e única vez q vi o Marcos ao vivo e acho q marcou um pouquinho.
    A apresentação da Aziza eu tb estava. Foi linda,mas nada comparada do Marcos.
    BJus

  2. Sandra disse:

    Oi Lory! Gostei da música escolhida para o 1º “Reconhecendo Estilos” 2010. Gosto dela e por coincidência havia escolhido várias performances p/ estudo, inspirada em sua apreciada iniciativa. Dalila e Aziza são uma delas. As outras são Juli, Jade, Elis e Angeles Cayunao. Ainda não tinha visto a performance de Marcos. Nossa! Fiquei impressionada! Ele é muito bom tecnicamente e sua coreografia é interessante para estudo. Expressa vigor e intensidade em seus movimentos, apresentando uma dança limpa, bem ritmada, conforme a música. Gostei de ver um homem dançando “Ana Bastanak”. Mas, para mim, Dalila conseguiu expressar mais o sentimento que a música transmite. Gosto de sua suavidade e equilibrio entre os movimentos de percussão e melodia da música. A impressão que tive é que ela se delicia com a interpretação da música a cada acorde musical, com sentimento de amor. E a letra da música é muito romântica… Quanto a Aziza, também gostei de sua entrada com o véu, apesar de não se ver muito bem por causa da pouca luz… Seus movimentos coreográficos, na minha opinião, são dentro dos padrões esperados para uma “dança certinha”, uniformizada. Não me surpreendeu quando assisti pela primeira vez no youtube. Além disso, falta um tempero especial, que é dar alma/vida/sentimento à dança. Parabéns pelo 1º “Reconhecendo Estilos”! Um abraço e felicidades.

  3. Samara disse:

    Marcos toda vida. Podia ser apenas pelo estilo próprio bem desenvolvido, que as outras duas não tem. Mas ainda tem a leitura musical perfeita, a precisão, a intenção, a elegância e a emoção.

    Aziza é certinha “casa de chá”, mas me agonia porque a dança dela não explode com a música. Bailarina bonitinha mas sem intenção. Preguiça.

    Dalila, sensação? Só se for sensação de deja vu… A moça JU – RA que é a Randa, sem ter metade da força e concentração de intenção desta… fica patético. Assim como a Dina, você pode até aprender com a Randa, mas o estilo é inimitável… Mo – hi.

  4. Vivi disse:

    Ai ai, vamos lá….
    Ana Bastanak tb foi a música que eu mais trabalhei em 2009. Não enjoei dela, gosto muito. É uma música de amor fudido, prá variar. É uma espera por algo que não acontece, então o maior sentimento que se pode tirar dessa música é de alguém frustrado. Ou seja, sorrisinho num cabe.

    Vou do pior p/ o melhor.

    Aziza: nem pensar. Linda esteticamente e técnica perfeita, higiênica. Mas não convence, falta sentimento, falta mostrar a ‘dor’ da música, além de não respeitar os momentos grandiosos da melodia, alegrinha demais. Acrescento tb tudo o que a Samy disse. Preguiça ao quadrado.

    Dalila: Realmente, concordo com o que vc fala. Ali é o limbo entre a Dina e a Randa. Essa falta de personalidade cansa a beleza. Pelo menos ela leva o sentimento para a cena (pudera, o que seria se não levasse?). Mas a cara excessivamente plastificada e as contorções labiais me tiraram a concentração. Passo.

    Marquinhos: Bom, marmelada eu falar dele. Dos 3 o que tem, na minha opinião, a melhor leitura técnica e a mais fiel à letra. Estava com ele nesse dia e digo, sem exagero: o Scala fez silêncio na hora que esse homem dançou e depois veio abaixo com os aplausos. Um looooosho!

    Adorei o 1o. reconhecendo estilos do ano. Posso fazer um também?
    beijocas, flor. Vi

  5. Luana Mello disse:

    Xuxu… Acho que vou aí te visitar de novo mais rápido do que eu esperava. Ainda não é certeza, mas eu não aguentei segurar a informação, rs. Saudades…

  6. Sabrina Fadanelli disse:

    Nossa, que beleza de bailarino, maravilhoso! Muita emoção!

  7. Ana Paula disse:

    Oi genteee!!! amo esta música…mas gosto da interpretação da Jade el Jabel…dêem uma olhadaa…bjokasss

  8. Viviane disse:

    Cópia da Dina e da Randa melhorada? Essa Dalila é só mais uma, a Dina por mais criticada que seja, criou um estilo que todo mundo copia, mas não conseguem fazer igual à ela.

    Quanto à Randa, é simplesmente a melhor, impossível essa Dalila ser cópia melhorada, sem mesmo chegar aos pés de ser uma!

  9. Flávio Amoêdo disse:

    Bem, é muito bom falar de pessoas que pra muitos é referência. Devemos respeitar a leitura musical de cada um, até mesmo porque somos diferentes de mais. Falar de cópias de bailarinas acho deselegante, com toda a certeza Dalilah não copiará nunca Dina e Randa até mesmo porque não tem como, elas são únicas.
    Marcos é lindo, dono de uma técnica maravilhosa. Todos mega profissionais.
    Não devemos comparar assim como não queremos ser comparados.
    Aziza, Dalilah e Marcos, arrazam.
    Parabéns!

    • lorymoreira disse:

      Flávio, estamos tratando de leituras diferentes e, obviamente, temos as nossas preferências. Não vejo problema em falarmos delas quando se mantém o respeito. Isso não me parece ter faltado aqui.
      Quando a Dalilah, acho-a, sim a cópia da Dina e da Randa, mas isso é a minha opinião. Não precisa ser a sua, nem a de mais ninguém.
      Obrigada pela visita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s