As BBd´s. Você deve conhecer alguma.

Confesso. Essa idéia não é minha. Uma amiga que inventou esse termo e eu achei tão bom que resolvi criar um post pra divulgar. Mas ela ainda nem sabe disso…

BBd´s é a abreviação de algo bem comum no nosso meio “Bandidas Bellydancers”.

As Bandidas Bellydancers são, segundo essa minha amiga, aquelas professoras que expõem suas pupilas a situações ridículas, dignas de vergonha alheia e com merecimento à pena rigorosa pelo sistema judicial. São profissionais sem qualificação adequada que estão dando aulas pelo mundo afora.

A minha amiga, apesar de ter inventado o termo, não fez um levantamento das características dessas sujeitas. E é isso que pretendo fazer aqui porque, queridas leitoras, chega de apenas reclamar que esse amadorismo de profissionais acontece apenas na dança do ventre.

Acho que o momento é de alertar quem está começando e ainda não tem condições de discernir uma boa professora de uma psicótica (tudo bem, exagerei… é minha veia de lua em Áries falado alto), assim como de deixar um recadinho para as BBd´s de plantão: estamos de olho em vocês. Eheheh!

Se você é iniciante nas aulas de dança do ventre ou aluna de alguma BBd terá dificuldade em identificá-la, mas com o tempo você vai acabar juntando uma coisinha aqui, outra acolá e, se dando conta da real identidade da pró e, pelo amor de Jeová, nesse momento, se pique (ou, numa linguagem menos baiana, saia correndo)!

As características mais comuns são essas:

  • Ela diz que fez aula com alguém que você nunca acha no youtube, nunca vê dançando ou está completamente fora de alcance (tipo Emirados Árabes).
  • Ela diz que se atualiza constantemente com workshops, mas nem você, nem ninguém, nunca a viu em nenhum.
  • As aulas são um ôba-ôba. Com apenas 6 meses de prática você já está no nível intermediário e com mais 6 meses, no avançado.
  • Você tem poucos meses de aula, mas já pode se apresentar publicamente.
  • A postura usual de uma BBd: joelhos flexionados demais e quadril desencaixado.
  • Figurino não é problema. Você pode dançar num restaurante com um pedaço de voil enrolado no corpo. É o must! (Credo!).
  • O problema não é ela saber a diferença de um dabke pra um Said, mas dançar um Said como se fosse uma música clássica.
  • Ou porque são loucas ou porque precisam disfarçar sua incompetência, elas se denominam as bam-bam-bans do momento.
  • Pode demorar, mas você vai pegá-la na mentira.
  • Ela não lhe estimula a participar de workshops e oficinas. “É jogar dinheiro fora”.
  • Toda bailarina que vocês assistem juntas dançarem, exceto as suas colegas de dança, têm um defeito muito grande na dança ou, ao contrário, todas são perfeitas – criticidade zero.
  • Papos de deusas são comuns, principalmente quando você pergunta alguma coisa como, por exemplo, qual a origem da dança do candelabro.
  • Um dia ela chega com uma novidade: aulas de tribal. Acabou de aprender olhando uns vídeos no youtube.

E deve ter muito mais coisa por baixo desse tapete…

Quem já passou pela experiência sempre tem a contribuir. Os comentários estão disponíveis, ok?

Agora, me digam, pelo amor de Deus, se realmente deve haver perdão para todo tipo de crime?

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

20 respostas para As BBd´s. Você deve conhecer alguma.

  1. Vivi disse:

    kkkk, nem me fale fia…
    Outra característica das ‘moça’:

    * Que aluna nenhuma comece a dançar melhor do que ela, ou será alvo de sua ira e desprezo.

    * Ela se autoelogia nas fotenhas de seu álbum no Orkutis.

    Conheço uma assim, rsrs.

    (A foto do post me deu medinho!Credo!)

  2. Shaide Halim disse:

    Um dia ela chega com uma novidade: aulas de tribal. Acabou de aprender olhando uns vídeos no youtube… ahahahahahahahahahahah… aqui em SP isso é tão comum que eu acho que as pessoas já se acostumaram e nem ligam mais, sabia? Pq eu vejo meninas falando coisas como: minha professora de dv tá montando uma coreografia de tribal pra gente… ela tá aprendendo pelo youtube, mas vc precisa ver como tá ficando perfeito! hahahahahahahahaha

    Mas uma coisa eu discordo nisso aí, Lory: minhas alunas se apresentam com poucos meses de aula. Se elas quiserem, claro… mas faço questão que dancem o quanto antes. Obviamente que dentro de suas limitações e com o publico avisado que vai ver uma turma iniciante em ação. Acho uó professora que só bota as alunas mais avançadas pra dançar… aí, no dia que a coitada da aluna finalmente passa de iniciante pra intermediário e é jogada no palco, não tem a menor noção de como lidar com público, se posicionar em cena, explorar o palco. E, sinceramente, não adianta a professora prepara-la em sala de aula, pq a experiência é o que conta nesse momento.

    Saber como vai ser é diferente de vivenciar na prática. E quanto mais vivenciamos, mais preparadas ficamos. Ou seja, o desenvolvimento técnico acontece ao mesmo tempo que todas as outras subjetividades e sutilezas da dança, como expressão, conhecimento do espaço cênico, relação entra bailarina e platéia, etc e tal.

    Aqui na escola as apresentações são, no mínimo, trimestrais, com quem ainda está nas fraldas até aquelas que já estão rumo à profissionalização (em todas as modalidades).

    Portanto, eu apoio que o aluno tenha o maior contato possível com palco, e o mais cedo possivel tambem. Aquilo que se aprende em sala de aula é posto em prática no palco. Se essa prática demora muito a acontecer, a aluna terá técnica, mas perderá em expressão, em presença cênica. Prefiro que elas passem pelo sufoco das primeiras danças quando ainda estão cruas tecnicamente. Tá tudo meio cru, vai tudo cozinhando junto. Muito pior é ver uma aluna de nivel mais adiantado, que tem tecnica já razoável, mas dança com cara de medo, de papel, de socorro – que que eu tô fazendo aqui em cima desse palco!!!

    • lorymoreira disse:

      Shai, acho que palco é aprendizado e que o espaço para alunas deve ser muito bem cuidado pela professora. Concordo com vc que é preciso experimentá-lo desde o início. Quando me referi a apresentações aqui, deixo claro: são espaços onde não é dito que a turma é iniciante, ou em que a menina com 2 meses de aula é jogada pra dançar num shopping ou restaurante e por aí vai. Se trata de não respeitar a condição de aluna iniciante, onde não se trabalha a condição emocional e técnica dela, assim como o tipo de platéia a qual ela será exposta. Algo como jogar comida aos leões, percebe?

  3. Marcelly disse:

    Oi !
    Primeiro quero dizer q seu blog é 10, sempre leio, adoro seus textos, mas, é a 1ª vez q comento, rsrs !
    Eu acho q um dos problemas é q hj em dia, qualquer uma acha q já pode dar aulas, a menina mal começou a aprender e já quer se intitular professora prá ganhar algim dindin.
    Eu sou iniciante e aconselho todas a darem uma pesquisada antes de começarem a fazer aulas com fulana, prá saber se ele é realmente professora.
    Adorei o post, parabéns !!!

  4. Aisha disse:

    FANTÁSTICO!!!!!

    a originalidade e criatividade imperou neste post…..

    Eu reconheço muitas delas, mas como BBds são de certa forma meio forasteiras, a gente não sabe ao certo seu paradeiro.

    quando alguma aluna chega e diz que ela é avançada porque em sua última aula dançou inclusive com a espada, daí com certeza ela deve ter cuzado com alguma delas por aí.

    Gosto muito daquela que faz seu próprio cenário, com lençóis, no quintal de casa e posta um vídeo no youtube, mas a que mais da na cara mesmo é a que fala das deusas e nomeia os passos dentro do mesmo contexto.

    Acho que isso é crime inafiançável….rs..

    adorei, beijos

  5. Samara disse:

    Mais duas para sua listinha:

    * professora que se ofende quando alguem assiste uma apresentação com ela, suas alunas e convidadas e no dia seguinte faz um comentário na internet elogiando uma das convidadas, sem dizer uma palavra sobre ela (sim, existe!)

    * professora que não respeita o limite físico das alunas (e na verdade, entende muito pouco de corpo) expondo as alunas menos flexíveis a lesões… (quem nunca passou por uma?)

    Beijocas

  6. Shaide Halim disse:

    Ahhhhhhhhhhhhhh, ok, Lory! Agora entendi seu ponto de vista… iniciantes dançando no shopping deve ser uma cena típica por aí, mas pq aqui não rola, não!

    Mas em compensação, tem um moooooonte nas baladas árabes, sabia? Maavah, Maeva, Bantu, Athilio’s music… faça uma busca desses locais, se é que tem vídeos no youtube, e verá q deve ser o equivalente ao que acontece por aí nos shoppings centers da vida!

    E adorei a frase da Aisha: Gosto muito daquela que faz seu próprio cenário, com lençóis, no quintal de casa e posta um vídeo no youtube… hahahahahhahahahahahhahahah… e não é que é bem por aí mesmo?

  7. sanya Ju disse:

    Putz Lory, me encaixo em quase todas as categorias, mas não por ser bandida, meu – simplesmente por espírito aventureiro mesmo hahahahhaha. Mas só que as qualificações são verdadeiras, os works hj em dia seleciono ao máximo – faço um por ano ( então ng me vê mesmo) e honestamente para algumas alunas acho que é jogar dinheiro fora comparecer à alguns eventos como esses hahahaha.
    Cara, sou a bandida pulguenta da bellydance – que podre!
    Tenho uma coisa a meu favor – jamais dancei de joelhos flex (nem qdo não sabia dançar) . . . aff

    • lorymoreira disse:

      Samyta, se eu não te conhecesse, até que acreditava! Maluquinha!
      Mas me serviu como alerta. Criar rótulos sempre tem suas armadilhas.
      Ó uma aí!

  8. Suheil disse:

    Obrigada por comentar no meu blog! Ah! Que conexão! kkkkk Estou adicionando o seu em minha lista de blogs recomendados! Menina… não é que eu falei de 4 bellydance bandidts e nem tinha conhecido o termo ainda… que pena, senão teria adotado! rs… Adorei a denominação! Fica com Deus linda… virei mais por aqui com certeza! Bjks

  9. Daiane disse:

    Acho que tem uma que tá faltando: bbd é quase sempre uma professora, pois ela tem que ser um exemplo do ideal na dança e fora dela e o dia que ela escorregar, pimba. Já virou péssima referência. Fazer o quê…faz parte!
    Talvez eu tenha que me considerar bbd também, pois tanto tempo dançando somam um bom aprendizado, que foi adquirido através de diversos erros, infelizmente. Claro que juntar todos os itens da lista em uma pessoa só realmente é demais, mas acho que de algumas aguas muitas beberam até se tornar o que são. Acredito que as alunas não deveriam correr riscos, por ser uma relação de confiança e um serviço prestado, mas às vezes não é possível acertar tudo…como em todas as outras profissões; no meu caso, sempre tive a melhor intenção. A forma com que comecei a dançar poderia me condenar um bocado, mas não tenho vergonha do que sou hoje, a menos que me provem o contrário. Estudo pra caramba, principalmente sozinha. Mas não é por não cursar uma faculdade que vou ser marginal.

    • lorymoreira disse:

      BBd não estuda, fia. Copia coreografia do youtube. BBd não faz aula de aperfeiçoamento, falsifica certificado de workshop. Nem sei se BBd acompanha blog de bellydance nerd tipo eu e você… E não tenho absolutamente nenhuma ilusão em relação a formação acadêmica em dança. Já disse isso e repito: boas professoras e bailarinas não são necessariamente aquelas que passaram pelo curso superior de dança.

  10. Daiane disse:

    Acho que para profissionais vale também o seguinte ditado: ” A amizade é semelhante a um bom café, uma vez frio, não se aquece sem perder bastante do primeiro sabor” Immanuel Kant
    E não adianta, isso acontece. Por isso acho que devemos cuidar muito nossos atos e palavras, pois o professor (ou colega) também se magoa, a diferença é o fato de que o profissional nem sempre pode demonstrar. As críticas devem ter sustentabilidade suficiente e proporcional á sua abrangência.
    Um grande abraço!

  11. Daiane disse:

    Certo, Lory! Bem lembrado. Mas quem sabe a Bbd de hoje pode vir a surtar “no bom sentido” e começar a estudar de repente, hehehe! Pode vir a ser uma boa artista, não vamos desencorajar a menina, às vezes elas calçam as sandálias da humildade ou caem nas mãos certas, hehe!

  12. tribalbahia disse:

    Lory, deixa eu contar sobre uma historinha de BBd’s, a prof é contratada pra dançar em festinha particular, daí convida umas alunas para dançar junto com ela, recebe o cachê e não reparte com as alunas, que tal?
    Dá pra acreditar? Tem meninas que ficam doidinhas pra dançar e terminam entrando numa barca furada.

  13. Hanna disse:

    Cara, minha professora é tudo isso aí….. 😦
    Eu estou muito trsite lá na dança, tudo que leio de ruim e coisas erradas rola lá!
    Ela rouba as idéias dos outros, fala mal de outros profissionais, boicota mesmo outros eventos, proibe as alunas de irem, fica de cara feia se alguém vai, não gosta que façamos work, já fomos desclassificadas por figurino errado e ela continua insistindo! E etc, etc, etc….
    A dança tem me feito mais mal que bem, e claro, não deveria ser assim!
    Mas não sei como faço para sair!! Ela puxa meu saco (depois mente pra mim e me apunhala), me considera a “avançada” dela, e sei que eu saindo ela vai inventar uma mentira para se valorizar, como faz com todo mundo que já saiu, os outros é que tem defeitos, que não aguentaram o tranco, que só tem ego e vaidade…..
    Ela me colocou de ensaiadora, mas quero sair! Que desculpa eu dou? Ou falo a verdade? Daí criarei uma inimizade, talvez desnecessária, e que pode me atrapalhar na dança, pq quero continuar dançando! Tô perdidinha……

    • lorymoreira disse:

      Querida Hanna, antes de mais nada, respire fundo…
      Olha, eu poderia lhe dizer milhões de coisas, mas acho que você já sabe que precisa trocar de escola/professora.
      A forma de fazer isso pode ser muito tranquila. Lembre-se que vc é pagante e, por isso, não há motivo para ficar inibida com relação a necessidade de ter um outro tipo de professora. Com respeito, tudo pode ser dito. Mas eu, no seu lugar, diria o mínimo possível para evitar grandes mágoas (até porque, elas deverão existir mesmo… aliás, elas já existem de sua parte).
      A Dança deve servir para nos libertar. Quando ela aprisiona, ligue o alerta: alguma coisa está muito errada. Dê um tempo, respire outros ares, experimente outras danças e reavalie a forma como você quer se relacionar com ela.
      E só um lembrete: uma relação nunca se constrói unilateralmente. Por pior que possa parecer, a gente sempre contribui 50% para qualquer relação – as que dão certo e as que dão errado. A omissão e a permissividade é uma dessas formas… Pense nisso também: de que forma contribuí para chegarmos até aqui?
      Sossegue seu coração e siga seu caminho.
      Lhe desejo boa sorte, tá?
      Beijos.

  14. aluna de BBd - quase ex...rs disse:

    E quando a BBd obrigada as alunas a vender tantos convites para a apresentação, e se a aluna não vender tem que pagar do próprio bolso pois a BBd não pode ter prejuízo! Ou seja, o lucro é dela, mas o prejuízo não! As pobres alunas tem que pagar mensalidade, figurino superfaturado, convites do próprio bolso e taxa de palco (já viram isso? pagar para dançar!!!)

    • lorymoreira disse:

      Esse tipo de “acordo” é muito comum. Cabe avaliar com a professora se essa forma é a mais justa e os motivos dela tê-la adotado. Se você, ainda assim, se sentir desconfortável, caia fora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s