Uma garapa, please!

Por favor, não faz isso.

Primeiro foi o Tito – que começou com essa história de dançar em cima do derbake. Depois veio a Jillina, numa imitação – no terrível Babelesque – daquilo que a gente já tinha visto.

Não tenho nada contra a dança dessas duas criaturas, mas também não gosto da idéia de dançar em cima do pobre do derbake.

Tenham piedade do instrumento, por favor.

Até pode parecer, mas derbake não é um tamborete.

Mas, para as as coisas não ficarem na mesmice, agora fazem derbake de jarro:

Fico pensando qual será a próxima invenção.

Sim, a propósito, estou de péssimo humor hoje.

Pode ser caretice minha, mas sou casada com um homem que me ensinou a respeitar os instrumentos musicais: “se eles servem para tirar algum bom som, nunca os tenha nas mãos para outro fim”.

“Não querido, não é nas mãos… é nos pés. E nos pés não dá pra tocar, então a gente rebola em cima deles”.

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

8 respostas para Uma garapa, please!

  1. Vivi Amaral disse:

    Tadinho do derbake. Deve ter ficado mega frustrado. Ô gente que num tem noção, sô.

  2. Samara disse:

    O que me deixa feliz é que aí sei que eu nâo sou a pessoa mais implicante do universo, só uma das. ^^

  3. Deby disse:

    Meu deus!Ela dança quase o tempo todo em cima do derbake! Que afliação que me deu! Aquele palcão lindo, experando pra ser explorado, e ela em cima do derbake coitado! E o pessoal acha lindo!!!!

  4. Elaine disse:

    Ai, coitado do derbaque…
    Mas eu achei lindo aquilo que ela fez com a saia, arrasou, ficou um desenho lindo.
    A propósito, isso me fez lembrar qdo estive em Salvador e vi os orelhões de berimbau, de lixeira, eu achava aquilo o fim, uma falta de respeito com o instrumento. Imagine pisotear o derbaque, hehehe.

  5. daiane disse:

    Olha, pra mim o Tito pode fazer com derback o que ele quiser,pode até comer nele, assim como Jimmi Hendrix incendiava sua guitarra. Sendo quem são, tanto o instrumento quanto o momento são deles e sendo artistas deste nível, pra mim o resto é detalhe. O Tito é original. O problema é quem copia a mesma coisa.Eu acho uma judiaria estragar instrumentos, mas isso é problema de cada um. E não precisa ter pena do derback, não. Ele resiste muito bem.

    • lorymoreira disse:

      Ô baby… até entendo essa “licença poética”, mas não gosto da prática de subir no derbake. Acho apelação. O Tito não precisa disso pra ser amado e idolatrado por ninguém. Mas essa é a minha opinião.

  6. Samara disse:

    E, assim, só para apaziguar seu coração, para 80% dos derbakistas que você perguntar, eles vão dar risada, pois consideram seu instrumento praticamente indestrutível – a não ser os revestidos em marchetaria com madrepérola, porque a dita cuja quebra embaixo.
    Pelo menos é arte, né? Pode-se fazer coisas bem menos respeitosas com instrumentos musicais… Pense…

  7. Karine Al Shams disse:

    O negócio já pegou fogo mas… dançar em cima do instrumento é coisa do Tito?
    Vi duas apresentações em que músicos egípcios subiam no derbake – muitos deles em determinados momentos gostam de fazer uma performance de dança também, brincar com o público e tals.
    Na Síria, não presenciei isso em apresentações para o grande público, mas vi em Damasco as pessoas fazerem isso (com o derbake)numa reunião familiar, dentro de casa (esses eram palestinos) e também num casamento em Tartus (litoral da Síria) vi o cantor saltar faceiro em cima de um tabal e tremer mais que cusco na madrugada fria.
    Não estou aprovando, eu tive vontade de gritar – NÃÃÃÃOO! – como quem vê o atirador de facas mirar na corista…
    Quando entrei na loja para comprar um derbake no Cairo, havia dois atendentes sentados neles. E pior: um deles era de madrepérola – sim, uma heresia!
    Concordo com o que diz a Samara – no geral o músico respeita o seu instrumento de trabalho, mas não sei até que ponto isso é universal. Talvez esses 80% que dão risada irão rir em português…
    O que a gente considerea desrespeito pode ser só a “banalização do derbake”… já que por aquelas bandas o artigo é disponível como banana na feira -mas é só uma suposição, talvez seja de raíz cultural, ou pode ser um modismo contemporâneo.
    Mas, sinceramente, não me arrisco a dizer que o Tito seja original no que diz respeito a essa prática.
    Aliás, pode ser até o Tito, mas se pisar no meu derbake… ah, vai ter…
    Beijão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s