Começando a tirar o pó disso aqui!

Minha vida está uma correria que só e o blog, coitado, ficou abandonado nas últimas semanas.

Não se trata apenas de organizar e fazer um evento (Sarau Arte em Todos os Sentidos), mas de organizar os rumos de minha vida profissional – que caminha em sentido distinto ao da dança.

Por conta disso, até o mês de Setembro os posts ficarão espaçados. Não garanto ter tempo para atualizações freqüentes – o que não quer dizer que a dança esteja em stand by.

Essas últimas semanas foram bem animadinhas no quesito “vida de odalisca”. Dancei no Zaghareet, evento da minha super pró Lis de Castro; organizei e dancei no Sarau Arte em Todos os Sentidos e dancei no espetáculo de teatro Véu Carmim. Tudo isso em um período de menos de 15 dias.

Engraçado como a vida da gente se move, né?

Passei o primeiro semestre inteiro parada – minha vida profissional meio que atravancada e, embora fazendo aulas de dança, meio que sem movimentar muito a energia da arte. Foi resolver enfiar as caras nas apostilas e me matricular num curso preparatório para um concurso que parece que tudo começou a caminhar: o trabalho e o estresse aumentaram e as possibilidades de me apresentar com a minha dança também.

Então, nessa onda de vida doida, investi um tiquinho de dedicação para a dança que apresentaria no Sarau e que, no final das contas, foi a mesma que dancei no Zaghareet, a pedido de Lis. Foi uma dança improviso com pequenos trechos planejados.

Zaghareet

O resultado? Bem… não tive como trazer um vídeo legal para compartilhar com vocês. No Zaghareet não podíamos filmar e no Sarau, meu papai amado, teve uma crise única e breve de Parkinson e tornou o vídeo inviável para publicação. Acontece…

Bem, de alguma forma, tenho algum material para estudar no vídeo treme-treme. Minha conclusão: quando penso que minha dança melhorou, me dou conta de que ainda tenho muito mais a conquistar do que já conquistei. Essa balança parece que nunca se equilibra e esse desajuste me causa um desanimozinho, sabe? Nada tão grave, mas incomoda bastante…

Na falta do vídeo, tem as fotos.

Bom, as fotos…

Preciso perguntar uma coisa a vocês: o que acontece com esse povo que faz iluminação de eventos nessa cidade? Sabem quantas vezes disse ao rapaz que fez a iluminação do Sarau para não pôr luz vermelha? Mais de 10. Sabe o que ele fez? Pôs luz vermelha… ai meus sais…

Dançando no Sarau

Bom, além do meu solo, teve a coreografia que eu e Galzita elaboramos para a abertura do Sarau. Apesar de não ter ficado com a qualidade boa (logicamente pelo excesso de luz vermelha), dá para sentir o clima gostoso que foi apresentar essa dança, que teve participação de Patrícia, aluninha de Gal que fez seu primeiro solo logo em seguida.

Bom, além disso, também contei que dancei na abertura de uma peça teatral, né? Pois bem, tem uma atriz daqui de Salvador, a Sara Jobard, que já fez dança do ventre. Ela montou um monólogo – Véu Carmim –  sobre a situação de violência contra a mulher e mesclou as leituras da dança e do teatro no espetáculo. Para cada apresentação, ela chamou uma bailarina para se apresentar. E nesse vai-e-vem da vida, eis que Bela Saffe me convoca de última hora para substituí-la – me dando a honra de tentar responder à altura do que seria a sua presença por lá.

Não foi uma dança genial. Além de ter sido pega de última hora, estava cansadinha e não tive nem tempo de improvisar uma única vez antes de subir no palco. Peguei uma música que amo e já tinha dançado antes e fui lá. Além disso, dançar em cima de tapete é dose, hein? O danado trava nossos pés e os deslocamentos ficam o ó. Mas a dança rolou. E é essa aí.

E agora, a próxima aventura é o Oriental Fair. Fui convidada por Bia e estou feliz: que nem pinto no lixo, sabe? Mas se vou dar conta, são outros quinhentos…

Apesar da vida cheia e do catatau de coisas que tenho pra estudar, eu voume jogar – porque, como diria minha amiga Gal, é preciso se lançar nos desafios que o universo propõe para que outras portas se abram. E se as portas dos palcos estão se abrindo, porque não da carreira pública?

Torçam por mim, tá?

Volto assim que puder para dar notícias, contar histórias e matar as saudades!

Beijos!

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para Começando a tirar o pó disso aqui!

  1. Lory…minha linda!! Q/ bom saber q/ vc tbm está se dedicando aos estudos e q/ as portas tbm estao se abrindo na dança…pois vc merece pq td a sua dedicação….bom ler esse post informando um poukinho os motivos do seu sumiço pois já estava c/ saudades de algum post seu!!! Foi um prazer revê-la no Zaghareet e espero te encontrar mais vezes nos palcos da vida,…..Mta sorte e q/ possa passar logo em algum concurso…Bjssssssss

  2. Jana disse:

    oi, Lory!
    Que legal, hein!
    A vida é assim: nos surpreende. E isso é tão gostoso. Às vezes trabalhosíssimo também. Mas vale a pena! Sorte pra você.
    Bia também me convidou, estou sentindo O MESMO QUE VOCÊ ! Encarando um desafio!
    Vamso lá! NOS VEMOS NO PALCO !!!
    Um beijo.
    Jana.

  3. disse:

    Batwanes beek é tudo, Lory!!! Amo esse seu figurino amarelo também… Parabéns, arrasou como sempre!!!
    Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s