Kate: uma das jóias da época de ouro da dança egípcia

Tenho investido grande parte do meu tempo livre no garimpo de vídeos das bailarinas antigas pelo youtube. De seleção em seleção, vou escolhendo as danças favoritas de bailarinas que estão sempre na minha lista das 5 melhores de todos os tempos: Souher Zaki, Naima Akef, Nagwa Fouad, Samia Gamal e Taheya Carioca.

Mas o grande barato dessa história não são as pérolas que encontro de cada uma dessas 5 bailarinas: é descobrir, nas entrelinhas, bailarinas desconhecidas, porém extremamente ricas para estudo como, por exemplo, a egípcia Kate (também conhecida em alguns vídeos por Kitty).

Para quem considera que as bailarinas antigas são lineares, Kate é um tapa com luva de pelíca: explosiva, carismática e dona de um quadril de deixar qualquer bailarina atual com a cara no chão.

É muito difícil achar informações sobre ela na internet: o que sei é que o seu nome de verdade era Kitty Fotsaty, nasceu em Alexandria, era filha de pais gregos e participou de alguns filmes da época de ouro do cinema egípcio.

Existem alguns vídeos da Kate postados no youtube e outros também bem interessantes postados numa comunidade do Facebook. Mas, hoje, quero dar destaque para um especificamente:

A sinuosidade nos oitos, o poder das ondulações pequenininhas e impactantes (2:56), a fofura de seus deslocamentos (observem o tempo de 1:41 a 1:47) a expressão que responde à música,  o charme nos cabelos (tempo de 2:20. Pode ser mais fofa?), a variação de velocidade dos movimentos, a forma como ela explode em algumas passagens (2:38 a 2:41), a maneira como explora as direções no palco, o soldadinho pra cima que ninguém faz igual (2:48), a loucura que é o cambrê dessa mulher (2:23), o giro lindo e a finalização de rainha!

Mas por que mesmo que estudamos tão pouco as bailarinas da Era Dourada? Por que temos priorizado as divas atuais em detrimento de bailarinas tão ricas e com tanto conteúdo pra ser destrinchado em sala de aula?

Não acredito que seja apenas uma questão de gosto. Creio que haja um certo preconceito com o que é antigo e que está tão fora dos padrões ocidentais de arte e beleza. Mas olha que surpreendente: o que, na Kate, deixa a desejar em relação às bailarinas atuais?

Na minha opinião, nada!

Ela é completa, única, marcou uma época e faz parte da história da dança que a gente escolheu fazer. Se não for por prazer, que nós a estudemos por respeito a essa cultura tão rica e tão diferente da nossa.

Um brinde a Kate e a todas essas mulheres gloriosas que construiram esse percurso que hoje traçamos com tanto amor: a arte da dança do ventre!

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

16 respostas para Kate: uma das jóias da época de ouro da dança egípcia

  1. Esmeralda disse:

    AI QUE PRESENTE QUE FOI ESTE POST, LORI!
    Dançar sem “saracotear”, sem deslocamento abusivo, sem pernão pra cima mas com pernão no lugar! Quadril na melodia com marcação ritmica suficiente para surpreender e não cansar!
    Adorei, amei, compartilhei e retwitei!

    Linda, beijos e bom dia!

  2. Maíra Magno disse:

    ela é aminha favorita da golden age

  3. lorymoreira disse:

    Por isso ainda há vida na esfera bellydance: Esmeralda e Maíra – duas bailarinas lindas e super atuantes da esfera nacional, curtem a Kate!

  4. Mariana disse:

    Nossa, essa bailarina não conhecia!!! Gostei mesmo, vou pesquisar mais sobre ela tbm!

    Beijos!

  5. Lucy Linck disse:

    Amo de paixão! A Kate é uma bailarina riquíssima para estudar!
    A minha predileta das “desconhecidas antigas” é a Hayatim! Conhece, Lory?

    Beijo!!!

  6. Lívia Carine disse:

    Não conhecia a Kate tbm! È mt legal quando as blogueiras passam seus achados
    Achei ela super gracinha tbm e realmente ela nos desperta pra coisas simples mas que dão impacto! Obrigada Lory por trazer a Kate. beijos

  7. Carla disse:

    Até hj lamento não ter ido a uma aula que vc deu lá no espaço de Bela, admiro todo seu empenho em construir um conhecimento sólido.

    • lorymoreira disse:

      Não lamente, Carlinha. Tudo aconteceu como tinha que ser. Agora estou bem melhor nisso. Quem sabe não rola um repeteco? 🙂

  8. Linda…linda..linda….Só vc msm pra nos presentear com essas maravilhas do mundo Belly Dancer

  9. Hanna Aisha disse:

    Lory,

    As pessoas não curtem bailarinas antigas por dois motivos:

    – Porque elas possuem um repertório menor de movimentos e para quem aprecia leituras mais dinâmicas, pode parecer entediante
    – Porque dançar em um estilo inspirado nas antigas não te faz ganhar concurso nem passar pra casa de chá.

    Beijso

    • lorymoreira disse:

      Pois é flor. Esse comportamento de rechaçar essa dança das antigas me incomoda – isso, sim, me incomoda muito! Simplesmente pq elas são a origem de tudo que a gente faz. Dança do ventre não é ginástca rítmica e competição de piruetas não é nosso negócio, por isso não entendo essa necessidade de fazer 1000 passos em 1 minuto…

  10. Luísa Ruas disse:

    Ai! Eu descobri ela esses dias! E justamente olhando esse vídeo, que é divino! É simplesmente o conjunto da obra, lindo! Repito o comentário que fiz no post da Tammar, a gente se apaixona pela bailarina, é encantador! Te deixo uma outra bailarina que descobri recentemente, não sei se conheces. Estupenda! E também usa a dinâmica!

  11. Pingback: Zeinat Olwi | (An)danças de Lory

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s