Mohamed Abdel Wahab: tradição que já foi inovação

Mohamed Abdel Wahab foi um grande cantor e compositor egípcio nascido no ano de 1907 e responsável pela criação de muitas canções e peças da música árabe clássica. Foi o autor dos hinos da Líbia e da Tunísia e considerado um dos músicos mais inovadores do seu tempo.

Tornou-se o responsável pela introdução de vários ritmos ocidentais à música árabe como a valsa, a salsa, o tango e o mambo. Também inovou ao incluir instrumentos ocidentais em suas peças. O mais famoso exemplo é a introdução de Leylet Hob, composta por um solo de guitarra – até então inexistente na música árabe. Graças a essas inovações, Abdel Wahab passou a ser visto como o responsável pelas mudanças de longo prazo ocorridas do universo da música árabe.

Muitas de suas canções foram interpretadas por Oum Khalsoum, entre elas, “Enta Omri” – que foi escrita exclusivamente para a diva.  Foi amigo pessoal de Abdel Halim Hafez, que também gravou diversas de suas composições, e do famoso poeta Ahmad Shawky.

Além de compor e cantar, Abdel Wahab também se tornou um ator bem conhecido do cinema egípcio, mas na década de 1950 deixou de atuar para se dedicar inteiramente à música.

Morreu em 1991 de insuficiência cardíaca e tornou-se uma lenda para a música árabe.

Algumas das suas canções mais famosas estão no repertório da maior parte das bailarinas de dança do ventre: “Zeina”, “Fakarouni”, “Fe yom we Layla”, “Aziza”, “Min Ghir Leh”, entre outras.

Infelizmente ainda é raro encontrar bailarinas que se dediquem ao estudo e interpretação de suas músicas (exceto as gravadas por Oum Khalsoum que têm ampla adesão pela bailarinada). A moda do momento tem deixado de fora o estudo de canções do repertório tradicional da música árabe e dado muito mais valor a músicas modernas, que têm forte apelo popular, mas, nem sempre, ricas possibilidades de leitura.

Lógico que é muito mais fácil dançar uma musiquinha da Haifa – e isso também é bem divertido! Mas as peças de grandes artistas árabes como Mohamed Abdel Wahab, Abdel Halim Hafez e a própria Oum Khalsoum têm ligação direta com as raízes da dança que a gente escolheu se dedicar. Estudar e interpretar tais músicas não está fora de moda nunca e é vital para a sobrevivência da “raks el sharq” que a gente tanto ama.

Deixo aqui com vocês algumas dicas de CDs e 3 excelentes vídeos (com modalidades de interpretação completamente diferentes) para estudo.

 Sugestões de CDs:

Best of Mohamed Abdel Wahab – Hossam Ramzy

Jalilah’s Raks Sharki Volumes 2,3 and 5 by Moktar al Said and Jalilah

Hamada by Sayed Balaha

Wash Ya Wash volume 2 by Raqia Hassan and Yousri Sharif

Magic of John Bilezikjan by John Bilezikjan

Performances para estudo:

Fontes:

http://www.belly-dance.org/mohamed-abdelwahab.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Mohammed_Abdel_Wahab

http://www.jasminjahal.com/articles/00_12_wahab.html

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para Mohamed Abdel Wahab: tradição que já foi inovação

  1. Está ficando cada vez melhor.

  2. Pingback: Warda: elegância e poesia | (An)danças de Lory

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s