Onde foi parar o folclore?

Entro e saio de eventos de dança árabe e sempre me faço a mesma pergunta: por que cargas d´água o povo não dança folclore?

Vejam bem: são dezenas de apresentações com grandes clássicas, solos de derbake, românticas (hoje, super na moda), às vezes, bem de vez em quando mesmo, um taksim. Com menos frequência, um baladizinho… Mas, e a raíz da dança que a gente faz? A batida forte de um quadril marcando o saidi, de uma bengala girando? A alegria sapeca dos cabelos que voam no khaliji? A brejeirice do melea-laf? Nem vou mencionar o hagallah, o falahi e a dança núbia, né? Esses, coitados, às vezes acho que o povo que faz dança nem sabe mesmo direito o que é…

Mas, voltando: por que o folclore passa tão longe dos grandes palcos e espetáculos de dança árabe?

Existem hipóteses. Muitas. Uma delas é que não há muito glamour numa galabia. A moça quer mostrar seu figurinho novo de duas peças, seu braço entupido de strass e isso não combina com uma dancinha pé no chão, né?

Mas, meninas, escutem só: nada anima mais uma platéia que uma apresentação folclórica! Pra mim é o auge de qualquer show. Se for em grupo, então, e for bem feito, aff! É de arrepiar os cabelinhos do braço!

Tudo bem que não dá para fazer tudo que a gente gostaria no palco, visto que a grande maioria de nós não o frequenta tantas vezes assim… mas, pra não deixar o folclore morrer na gente, por que não se propor a estudar uma única peça anual? Um único estilo, uma única música… mas estudá-lo, sim!? E, quem sabe, se arriscar a dançá-lo? E não é porque a Lory está sugerindo: é porque a platéia vibra, você dá um plus no seu quadril (nada é tão bom para o quadril que estudar folclore) e a gente resgata a parte mais divertida da dança árabe: àquela que nos aproxima ainda mais da cultura e do povo de onde vem a nossa amada dança do ventre.

Inspire-se!

Gawazee Soumbati – Aysha Almée

Saidi (snujs e bengala) – Autumn Ward

Dança Beduína – Rakaça

Anúncios

Sobre lorymoreira

Baiana, blogueira e apaixonada por música e dança árabe!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para Onde foi parar o folclore?

  1. Rubidancer disse:

    É aí mesmo que foi parar o Folclore: Na Rakaça!! Nos festivais da Rakaça jamais padecemos desse mal, o folclore é tão ou mais importante que a dança do ventre!

  2. Vivi disse:

    Minha irmã… Concordo contigo e dou a minha impressão da coisa toda. O povo não dança, por 1 dos 3 motivos: 1º) porque o folclore não apela e não mostra a ‘deusa’ que a maioria quer ser quando se apresenta. 2º) Porque não sabe o suficiente. 3º) Porque se acha descontextualizado da coisa.

    Né? bjs

  3. Hanna Aisha disse:

    Quero me defender! haahahahha
    Todo ano escolho um folclore para trabalhar com minhas alunas e isso gera uma coreografia. Já fizemos shaabi com snujs (com galabia!), saaid com bengala e ano passado, Hagalla! Infelizmente, não tenho o DVD do show, mas uma gravação ruim, por isso ainda não compartilhei. Esse ano será ghawazee! E danço fallahi de vez em quando… infelizmente, o que a gente não vê, na internet, a gente acha que não tá rolando… mas concordo com você!


    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s